Pular para Navegação

Professor Livre-docente Manoel Luiz Gonçalves Corrêa

Graduado em Letras (Português/Espanhol) pela UNESP-São José do Rio Preto-SP (1978), fez mestrado (1986) e doutorado (1997) em Lingüística na Universidade Estadual de Campinas e livre-docência (2011) na Universidade de São Paulo. Fez, ainda, pós-doutorados no exterior: em 2002/2003, na U-3-Grenoble-FR e, em 2009, na Université Paris XII-FR. Professor efetivo do DLCV-FFLCH-Universidade de São Paulo desde 1999, coordenou convênio CAPES/COFECUB USP/UNICAMP/U-3-GRENOBLE (FR) por quatro anos (janeiro/2005 a dezembro/2008). Tem experiência na área de Lingüística, com ênfase em Ensino de Português L1, atuando principalmente no estudo dos temas: escrita, letramento e discurso.


Projetos de Pesquisa

1. Projeto CAPES COFECUB nº 834/15: Discurso acadêmico na pesquisa e no ensino: questões em torno da apropriação da palavra de outrem

Descrição: Por meio da presente proposta de pesquisa e de parceria universitária entre o Brasil e a França, envolvendo quatro instituições universitárias brasileiras ? UNESP de São José do Rio Preto, UNICAMP, USP e PUC Minas, sob a coordenação desta última ? e quatro francesas ? Université de Lorraine, Université Charles de Gaulle/Lille 3 e Université Stendhal Grenoble III, sob a coordenação da primeira ?, pretende-se dar continuidade a um conjunto de expedientes investigativos sobre o letramento acadêmico levado a termo, nos últimos anos, por pesquisadores membros das duas equipes e por outros tantos interessados nesse mesmo campo (ASSIS; BOCH; RINCK, 2012; KOMESU, 2012; DAUNAY; LAHANIER-REUTER, 2011; CORRÊA, 2010; STREET, 2010; MATENCIO, 2002; DELCAMBRE, 2001, REUTER, 1998, dentre outros), visando a fortalecer e ampliar a discussão acerca dos conhecimentos, dimensões e fatores que compõem as práticas da esfera acadêmica, no que toca aos processos de formação e de pesquisa na universidade. O projeto, que se inscreve no domínio das Ciências Humanas e Humanidades, recobrindo questões que dizem respeito ao campo da linguística e da linguística aplicada, reúne pesquisadores brasileiros e franceses cujas atividade profissional e produção intelectual têm sido marcadas pelo engajamento em práticas formativas e toma como objeto de investigação o discurso acadêmico em situações de pesquisa e de ensino, sobretudo no que toca à apropriação da palavra de outrem, aqui assumida em sua relação com o fenômeno do dialogismo, visto como propriedade constitutiva da linguagem, conforme abordagem bakhtiniana. Trata-se, nessa medida, de colocar em foco, na discussão sobre a complexa rede de saberes e normas que orientam a apropriação do discurso de outrem: (i) os modelos científico-ideológicos que regem o letramento acadêmico, tendo em vista, principalmente, as dinâmicas em torno da internacionalização do ensino e da pesquisa; (ii) a delicada questão do plágio e os expedientes tecnológicos concebidos para flagrá-lo; (iii) as especificidades do processo de textualização em práticas de letramento acadêmico efetivadas em diferentes áreas do conhecimento e/ou em contexto digital; (iv) a ação do pesquisador orientador na avaliação de textos acadêmicos produzidos em diferentes níveis da formação universitária; (v) o papel e as formas de apropriação da palavra de outrem, tendo em conta as motivações do escrevente, dentre as quais se inclui o peso dos padrões de normalização para os textos acadêmicos; (vi) as estratégias e os recursos linguístico-textuais e discursivos que marcam a assunção de uma identidade acadêmico-profissional nos textos acadêmicos. No que se refere à metodologia de coleta/geração de dados, de responsabilidade de cada um dos pesquisadores participantes, prevê-se um conjunto heterogêneo de textos, em língua francesa e em língua portuguesa, para os quais se estabelecerá abordagem qualitativa ou quantitativo-qualitativa, visando a análise linguístico textual e discursiva. No que toca às contribuições científicas e sociais do projeto, destacam-se (i) sua possibilidade de incrementar e expandir os conhecimentos teórico-conceituais e metodológicos acerca do discurso acadêmico em face dos desafios contemporâneos, (ii) seu potencial para a formação de recursos humanos especializados e (iii) seu impacto por meio da socialização, em publicações e eventos da área, da produção conjunta de resultados..

2. Entre o dizer o dito: letramento acadêmico no ensino e na pesquisa, como parte do Proj CAPES-COFECUB 834/15: Discurso acadêmico na pesquisa e no ensino: questões em torno da apropriação da palavra de outrem

Descrição: Assumindo que a problemática do letramento, seja ele inicial ou não, põe o pesquisador diante da dificuldade de estabelecer fronteiras entre fatos de linguagem só aparentemente isolados, este subprojeto tem por meta a exploração da zona fronteiriça que é, talvez, a principal delas: a que se pode observar entre o dizer e o dito, aproximação usada, aqui, num sentido um pouco diferente daquele do título do livro de Oswald Ducrot (1997). Ao tomar como objeto de pesquisa práticas que estão permanentemente em transição, ora o pesquisador se depara com a nem sempre fácil delimitação do campo do oral e do letrado; ora constata a interpenetração entre saberes formais e informais; ora detecta a convivência entre formas tradicionais e novas de comunicação; ora é confrontado com suportes e circulações de textos que se movimentam de uma dimensão espaçotemporal restrita para outra, muito ampla; ora capta uma pesada voz institucional ao lado de discursos não-institucionalizados; ora captura a voz do escrevente, ora é a voz de um outro que se faz ouvir. Neste subprojeto, em que todas essas formas de transição são concebidas como casos de apropriação da palavra de outrem e, portanto, como partes da relação entre o dizer e o dito tomada como condição de linguagem, o corpus é constituído a partir do banco de dados do grupo de pesquisa CNPq Práticas de leitura e escrita em português língua materna, atendo-se, nesta pesquisa, a dois conjuntos de textos. O primeiro deles foi produto de coleta realizada pelo pesquisador responsável por este subprojeto e reúne 79 textos produzidos por alunos do primeiro ano do curso de Letras, frutos de uma experiência com o ensino do gênero painel (ou pôster); o segundo é composto por 07 artigos acadêmicos, ainda em vias de publicação, produzidos por participantes e/ou convidados como parte das atividades do mesmo grupo de pesquisa, incluindo mestrandos, doutorandos e pós-doutorandos, com a particularidade de que a produção dos textos do segundo conjunto resultou de estudo analítico do material do primeiro conjunto. A depender do andamento da pesquisa, esse material poderá ser ampliado. Como expectativa de resultado, este subprojeto pretende observar as formas de apropriação do discurso de outrem nos dois conjuntos de textos, investigando, no segundo conjunto, além dessas formas de apropriação, também o modo como os pós-graduandos captam o fenômeno em eventuais referências que façam a ele ao analisarem textos do primeiro conjunto..

3. Escrita e letramento acadêmico: conceitos de trabalho e outros encaminhamentos para o ensino e para a pesquisa

Descrição: Este projeto inclui temas cujo aprofundamento têm requerido, no interior da problemática do letramento acadêmico, atenção mais duradoura em pesquisas desenvolvidas por mim, ao lado de outros temas, mais recentes: (a) o da relação letramento/oralidade no tocante à concepção de escrita que orienta a produção desses textos; (b) os das relações dialógicas, de tempo/espaço e de temporalidade(s)/espacialidade(s), os quais estão na base das concepções de enunciado, de gênero do discurso, de texto e de discurso; (c) o do processo de letramento no contexto de formação do aluno para o ensino (futuro professor) e para a pesquisa (futuro pesquisador); e (d) o do processo de elaboração de conceitos de trabalho para o ensino, entendidos como instrumentos didáticos formulados a partir de quaisquer das dimensões da linguagem com a finalidade de oferecer aos alunos elementos para reflexão e intervenção sobre/na sua própria escrita. O objetivo da atual pesquisa é investigar como se dá o processo de letramento acadêmico, observando, em particular, como se dá o desenvolvimento da escrita (e da leitura) de pré-universitários e universitários (graduandos e pós-graduandos) e propondo, a partir disso, encaminhamentos para o trabalho em sala de aula. O material disponível para análise é constituído de textos produzidos por estudantes em diferentes momentos de inserção no ambiente escolar e em diferentes situações. O banco de dados, constituído desde 2001, é composto por material coletado em três situações: (a) de avaliação; (b) de aula e (c) de edição para publicação. Fazem parte dos textos produzidos em situação de avaliação: 3363 respostas à questão discursiva de Letras e Linguística, número que corresponde a cerca de 20% do total de respostas obtidas no exame de 2001; 270 redações dissertativas sobre o tema Trabalho, produzidas por candidatos ao curso de Letras da USP por ocasião do Vestibular FUVEST/2006; e 307 redações dissertativas sobre o tema Fronteiras, produzidas por candidatos a diferentes cursos da USP por ocasião do Vestibular FUVEST/2009. O material produzido em situação de aula (o pesquisador era também o professor) foi coletado no decorrer do ano de 2013 e reúne: 79 textos obtidos no processo de ensino do gênero painel (ou pôster) por alunos do 1º ano do curso de Letras (diurno) da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP; 100 resenhas obtidas no processo de discussão de textos teóricos por pós-graduandos do PPG. em Filologia e Língua Portuguesa da USP. O material produzido em situação de edição é composto de 06 capítulos de livro de autoria de doutores e doutorandos, obtidos durante o processo coletivo de edição para publicação de um livro (o pesquisador era também o organizador do livro). Foram coletados, também, materiais de apoio produzidos pelo professor/pesquisador, tais como: planejamento das atividades e anotações sobre como se desenvolveram essas atividades em situação de aula ou de edição. A base teórica do projeto constitui-se de cinco fundamentos, expostos em Corrêa (2013), a saber: (1) o fundamento pragmático-enunciativo de toda produção escrita; (2) o fundamento discursivo da identidade do sujeito, considerada a relação de alteridade em seu sentido forte; (3) o fundamento indiciário do material linguístico na escrita; (4) o fundamento dialógico para o ensino da escrita; e (5) o fundamento discursivo do material linguístico e do sujeito na elaboração de conceitos de trabalho para o ensino. Metodologicamente, a análise dos textos é orientada por uma abordagem qualitativa, podendo, eventualmente, recorrer à quantificação como modo de comprovação estatística. A expectativa é produzir uma pesquisa de base (análise dos textos e interpretação dos resultados segundo os temas indicados) que tenha alcance de aplicação no ensino.


Grupos de Pesquisa

Práticas de Leitura e Escrita em Português Língua Materna (Líder)

site / DGP


 

Email: goncor@terra.com.br

Currículo Lattes



Dr. Radut Consulting