Pular para Navegação

Prof. Livre-docente Mário Eduardo Viaro

Graduação em Lingüística/ Alemão pela Universidade de São Paulo (FFLCH/USP). Especialização em Tradução (língua alemã- CITRAT/FFLCH), Mestrado e Doutorado (área: Filologia Românica - DLCV/FFLCH) pela mesma universidade. Especializações em Mannheim/ Alemanha (DAAD - Institut für deutsche Sprache), Heidelberg (DAAD - Romanisches Seminar/ Universität Heidelberg) e em Chur/Suíça (Pro Helvetia - Lia Rumantscha/ Institut Rumancz Grischun). Pós-doutorado em Coimbra/ Portugal (FAPESP - Universidade de Coimbra). É professor livre-docente da Universidade de São Paulo e orienta na especialidade Morfologia Histórica. Coordena o grupo de pesquisa Morfologia Histórica do Português (www.usp.br/gmhp), cadastrado no CNPq e o Núcleo de pesquisa em Etimologia e Linguística Histórica da Língua Portuguesa (NEHiLP), ligado à pró-Reitoria de Pesquisa, da USP. É redator do projeto DÉRom (Dictionnaire Étymologique Roman), sitiado no ATILF de Nancy (França). É membro correspondente pelo Estado de São Paulo pela Academia Brasileira de Filologia (ABRAFIL) e tradutor juramentado de língua romena pela Junta Comercial do Estado de São Paulo (JUCESP). Atua principalmente nas seguintes áreas: língua portuguesa, lingüística histórica, etimologia, morfologia histórica, sociolingüística, dialetologia do português e filologia românica.


Projetos de Pesquisa

1. Morfologia Histórica do Português: sufixos e etimologia

Descrição: O projeto de pesquisa, vinculado ao GMHP, pretende: a) Descrever mecanismos de formação de palavras na língua portuguesa do ponto de vista diacrônico, sua produtividade e sua correlação com o significado; b) Associar a produtividade da língua portuguesa ao longo da história, tendo em vista que esse idioma se insere no quadro das línguas românicas (análise da influência do latim vulgar, do latim medieval, do latim científico); c) Datar com mais precisão fenômenos e acepções de palavras derivadas, com base em corpora bem sistematizados, d) Discutir o papel do estrangeirismo (sobretudo do francês e do inglês) na criação de modelos de palavras derivadas por sufixação dentro do português; e) Entender as diferenças de produtividade sufixal em todos os países lusófonos, bem como problemas nesse aspecto do ensino do português para estrangeiro, f) Lançar bases para estudo de outros mecanismos de formação de palavras, como a prefixação, a composição e a derivação regressiva. g) Combinar os dados e as datas obtidas pela etimologia de caráter científico com o estudo da morfologia histórica..

2. Etimologia da Língua Portuguesa (Projeto DELPo)

Descrição: O grupo de pesquisa, vinculado ao NEHiLP, entende que, diferentemente do que ocorre com a maior parte das línguas europeias (inglês, francês, espanhol e italiano), os dicionários da língua portuguesa são bastante falhos no tocante aos seus dados etimológicos. Confunde-se derivação sufixal e prefixal com etimologia, confunde-se étimo da palavra com sua origem remota, não há cuidado suficiente com étimos de línguas ágrafas e desconhece-se muito da influência árabe, sem falar da abundância de étimos fantasiosos que descaracterizam o estudo etimológico como um trabalho científico. A mídia e a internet contribuem para a divulgação de soluções fantasiosas, sem que os estudos acadêmicos na área de Linguística Histórica e Filologia consigam expor suas conclusões sobre o assunto. Como aconteceu com a Estilística, as pesquisas etimológicas de caráter científico foram muito produtivas até a década de 20 do século XX, quando estiveram no seu auge, no entanto, eventos históricos e ideológicos promoveram o esquecimento de muitas técnicas e resultados. Alicerçados na pesquisa linguística, os estudos etimológicos voltaram sobretudo a partir da década de 90 e hoje há ferramentas importantes para se desenvolver pesquisas de qualidade no nível acadêmico, que possam contribuir para a mudança da visão da sociedade sobre o tema. Nesse sentido, esta pesquisa sobre datação das primeiras ocorrências das palavras portuguesas, apresentada pelo NEHiLP é o primeiro passo para a criação de um novo dicionário etimológico da língua portuguesa.(DELPo).


Grupos de Pesquisa

A escrita no Brasil Colonial e suas relações

site / DGP

Etimologia da Língua Portuguesa

site / DGP

Morfologia Histórica do Português

site / DGP


 

Email: maeviaro@usp.br

Currículo Lattes



Dr. Radut Consulting